AS RELAÇÕES INTERNACIONAIS ENTRE O BRASIL E ARGENTINA DURANTE A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL: UMA ANÁLISE COMPARATIVA

Projeto desenvolvido pelo Prof. Dr. Antônio Manoel Elíbio Júnior

Resumo

Este projeto de artigo tem como objetivo investigar as relações de política externa da Argentina e do Brasil durante a II Guerra Mundial. A análise comparativa das relações diplomáticas, envolvendo as questões lindeiras, as estratégias militares, a atuação nazista na América do Sul e as posições da Argentina e do Brasil frente aos Estados Unidos e aos Países do Eixo, constituí o objeto central deste trabalho. Com a deflagração do conflito em 1939 os países da América do Sul foram envolvidos, direta ou indiretamente, devido a extensão da catástrofe, o fornecimento de matérias primas para os países Europeus e para os Estados Unidos,  os ataques dos submarinos alemães no Atlântico Sul e as fortes  relações comerciais, históricas e culturais com o Velho Continente. Ressalta-se que a Argentina e o Brasil mantiveram durante quase todo o período da guerra estratégias diplomáticas e militares diferentes, por vezes antagônicas. No caso argentino o governo de Buenos Aires adotara a política de neutralidade até janeiro de 1944, quando rompe as relações políticas e diplomáticas com os Países do Eixo e 27 de março quando declara guerra. Enquanto o Brasil, em 1942, declara guerra contra a Alemanha em virtude da forte pressão norte-americana e do torpedeamento de navios brasileiros na costa do Nordeste. A neutralidade de viés nacionalista da Argentina irá colocar o país em rota de colisão com os Estados Unidos, produzindo uma série de restrições políticas e comerciais, fazendo os governos militares buscarem apoio nos regimes nazi-fascistas europeus. Por sua vez, por causa da importância do saliente do Nordeste brasileiro, para o esforço de guerra norte-americano e os acenos comerciais e de investimentos para a construção de uma siderúrgica, o Governo de Getúlio Vargas irá optar por uma política pan-americanista em favor dos Aliados. Assim, este projeto de artigo procura analisar por meio da documentação diplomática encontrada no Arquivo Histórico do Itamaraty, no acervo do Centro de Pesquisa e Documentação em História Contemporânea-FGV e no Archivo de Cancilleria do Ministerio das Relaciones Exteriores y Culto da Argentina as estratégias políticas e militares da Argentina e do Brasil durante a II Guerra Mundial.  A hipótese que este trabalho sustenta é que as relações de política externa da Argentina e do Brasil, durante a II Guerra Mundial, foram determinadas por estratégias políticas e militares que colocaram estas nações em posições de constante suspeição e/ou aproximação diante dos Estados Unidos e dos Países do Eixo.

Projeto aprovado no Edital  02/2019/PROPESQ SELEÇÃO DE PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2019/2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *